Pintar ou não pintar os cabelos durante a gravidez?

Pintar ou não pintar o cabelo durante a gravidez?! Esta é uma dúvida de quase todas as grávidas! Veja o que é indicado para este período tão delicado em nossas vidas!
tingir cabelos gravidez 1

Tingir os cabelos na gravidez é sempre um assunto polêmico. De fato, é uma questão que divide a opinião dos especialistas. De um lado, os médicos que confiam nas fórmulas modernas, consideradas mais seguras, e defendem a teoria de que não há nada que comprove os riscos relacionados à tintura. De outro, os profissionais que preferem prevenir do que remediar, literalmente, por isso são contra esse nível de vaidade.

Mas nesse fogo cruzado, os dois lados concordam em um ponto: não se deve fazer uso de qualquer produto químico nos três primeiros meses de gestação, nem mesmo os considerados menos agressivos, como tonalizantes e henna. Passado esse período – que requer 100% de cautela e de distância das caixinhas de tinturas – a partir do quarto mês cada gestante deve seguir a orientação de seu ginecologista.

Pontos Positivos
“A maioria das tinturas não causa nenhum mal. Produtos sintéticos, sem efeitos colaterais, são usados para dar o mesmo efeito que se tinha antes, usando metais pesados e amônia. Mas é melhor evitar antes do primeiro trimestre de gestação”, dizem o dermatologista e presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo, Valcinir Bedin, e o ginecologista e obstetra Luiz Roberto Zitron, do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo. “Não há mais riscos, principalmente se for de marca conhecida, porém é bom evitar até o terceiro mês de gravidez, quando ocorre a formação do bebê e 20% dos abortamentos, fato que poderia relacionar o problema com a coloração”, acredita o médico.A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) comprova a teoria dos especialistas. “Todas as substâncias passam por um controle. Existe um limite de segurança para as concentrações. No Brasil esse controle é prévio, antes de comercializar a ANVISA avalia e se tiver concentração acima dos níveis seguros, não é dado o registro”, explica a farmacêutica Érica França, especialista em vigilância sanitária.“Mas a ANVISA não recomenda o uso de colorações por gestantes porque não se pode prever o nível de absorção das substâncias nocivas pelo organismo, mesmo em doses baixas. Ouvir a orientação do médico é a melhor conduta”, ressalta Érica.

tingir cabelos gravidezPontos negativos “Gravidez não é eterna, não custa nada fazer um sacrifício. Nesse período a vida deve ser normal, mas com bom senso”, diz o ginecologista e obstetra Lister de Macedo Leandro, professor da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, que levanta a bandeira de que nessa fase todo cuidado é pouco. “Até o terceiro mês não se deve usar nem tonalizante e henna, porque não temos certeza de que não são nocivos. Tudo que se tem dúvida é proibido, por segurança.

Coloração permanente é proibida até a hora do parto”, enfatiza o médico. “Amônia é perigoso, qualquer contato com essa substância é arriscado. A partir do quarto mês, libero henna e tonalizante e nos casos em que a gestante quer muito, eu permito que ela faça mechas, mas sem tocar no couro cabeludo”, relata Lister, evidenciando que esses cuidados devem fazer parte da rotina também durante a amamentação.

Para ele, a vida da mulher só volta ao normal quando o bebê estiver com seis meses, época em que ele libera a coloração permanente. “É coerente e seguro considerar tantas mudanças fisiológicas que acontecem na gravidez. A gestante, assim como o feto, não deve se expor a qualquer tipo de risco ou grau de irritabilidade excessivo”, acredita o técnico químico Celso Martins Júnior, diretor da Associação Brasileira de Cosmetologia.

 Sobre o alisamento

Além das colorações, outro procedimento cada vez mais comum entre as mulheres, que assombra os médicos, com unanimidade, são os alisamentos à base de formol. “Basta lembrar que é proibido”, resume Valcinir Bedin. “O uso de formol pode ser fatal. Mesmo se a equipe do salão insistir que o alisamento deles é sem formol, a mulher não deve aceitar fazer, pois as substâncias que supostamente fazem o papel do formol também são extremamente nocivas.

A gestante tem que ouvir a opinião do médico, não do cabeleireiro”, destaca Lister de Macedo Leandro. Vale lembrar que o fato do salão comunicar que não tem formol não é garantia de não ter realmente.

O que as marcas dizem…

Questionadas por “UOL Estilo”, as marcas gigantes do mercado de coloração – L’Oréal e Wella – responderam que não recomendam coloração permanente para gestantes. Em relação aos tonalizantes, consideradas colorações temporárias e mais leves, as duas empresas também têm o mesmo posicionamento: todo produto químico utilizado por gestantes deve ser autorizado pelo médico. Em se tratando de gravidez, cautela, nunca é demais – até mesmo a Surya Brasil, líder do segmento de henna no país, recomenda que a gestante faça uso dessa categoria de coloração apenas com autorização médica.

 

tingir cabelos gravidez 2
Nas minhas duas gestações eu fiz luzes no cabelo, pois acredito que é uma ótima opção para as grávidas, pois a tintura não entra em contato com o couro cabeludo. Mas segui as orientações do meu médico, e só realizei esse procedimento após o terceiro mês de gravidez. Acredito que todo cuidado é sempre válido e importante. Consulte o seu médico antes de tomar qualquer atitude com relação a cor e a textura do seu cabelo!
Fonte: UOL