Babás ou Berçário eis a questão…

Nossa decisão foi tomada antes mesmo do Léo nascer, nossa opção foi deixa-lo com uma babá e contar com o super auxilio das duas avós. O fato é que esta decisão é muito dificil, costumo dizer que não há decisão correta ou adequada, cada caso deve ser avaliado individualmente.

Acho que vale ressaltar os prós e contras de cada opção e assim cada mãe decide avaliando o que ganhará e perderá com babás e berçários. O mundo perfeito seria uma babá que confiássemos 100%, que soubesse estimular de maneira adequada, que cuidasse exatamente como a mãe lhe pediu, que soubesse atender alguma emergência com engasgo, queda, febre, que fosse carinhosa e não pedisse demissão a qualquer momento abandonando a criança que já está acostumada e apegada a ela.


Ou então uma escola em que ninguém ficasse doente, não houvessem mordidas, fosse perto de nossas casas e seguisse exatamente a linha educacional que os pais quisessem. Infelizmente estes dois mundos não existem.

Pois bem as academias de pediatria pelo mundo indicam o inicio da escolinha a partir de 2 anos, desta forma as vacinas já foram feitas, as crianças estão andando bem, passaram da fase oral, babam menos, conseguem falar e contar os ocorridos ao longo do dia e se contaminam menos e realmente irão se beneficiar de socialização e dos estímulos que a escolinha proporciona.
O principal ponto negativo do berçário são as infecções, a média de infecções virais ao entrar na escolinha são 12-14 quadros ao ano, isso mesmo, mais de um por mês, o que deixa a grande maioria das mães e pediatras malucos. O fato é que achar que a criança que está na escola será mto mais estimulada não é uma verdade absoluta, nos primeiros meses a criança precisa de atenção, cuidados básicos e estímulos também não mto sofisticados.

Uma babá bem treinada consegue estimular e fazer com que o bebê atinja todos seus marcos sem coloca-lo em risco com tantas doenças. A grande dificuldade é encontrar uma babá treinada e de confiança, ou uma escola que respeite todos os cuidados de higiene.
Qto a socialização antes de 1 ano a criança brinca a maior parte do tempo sozinha e consegue interagir mto pouco com outras crianças.

Na minha opinião o ideal e que tivéssemos uma licença maternidade de 2 anos, mas para isso precisaremos mudar para Europa. Percebendo esta dificuldade com treinamento e qualificação das cuidadoras estou montando um curso com ajuda de uma psicóloga e uma pedagoga que incluirá primeiros socorros, cuidados e prevenção de acidentes em casa, como estimular a parte motora, cognitiva e social dos nossos bebês.

Acredito que no próximo mês já estaremos abrindo as inscrições, logo divulgarei mais detalhes.